Seguidores

31 de dezembro de 2008




LIBERDADE É..

Liberdade é ação
É agir sem senão
Sem nenhuma razão
Nem complicação
É dizer sim e dizer não

Abrir o coração quando tiver vontade
É agir além da idade
É fazer o que se quer
Se o que você quer tem certo limite
Liberdade é seguir à risca o ‘não se limite’
Crie..recrie..procrie...

Faça e Aconteça
O que lhe vier à cabeça
Use sua criatividade
Monte seu quebra-cabeça
Encaixe as peças
Invente algo novo
Ou não encaixe
Nem em nada se enlace

Nem lace
Nem prenda
Liberdade é deixar ir
O amado que um dia volta
Se for pra voltar...
Se não for..que fique por lá

Que te deixe livre
Pra descobrir o mundo
Pra se descobrir...

Liberdade é ter a vida dentro de si.

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 30/12/08 -


LOBA E DEUSA

Como um cometa errante
Sigo minha estrada
Buscando...
À procura de mim
À procura de nós

Se de dia sou normal
E me deixo banhar pelo sol
Nas noites de lua sou loba
Transformada em caçadora
Como Diana – a deusa

No mundo dos homens sou louca
A chama do amor me cega os olhos
E me faz ver você em cada pessoa
Sua ausência é como fome na esquina
Seguir sua luz, seu nome...
É minha sina

Noites perdidas vagando ao luar
Ser humano no meio do caminho
Animal, anjo, suave, feroz e sozinho
Cruzar espaço
Sonhos guardados no fundo do meu peito
Por quantas vidas irei te buscar
Estrelado tempo me ensina a esperar

Quem resiste a uma paixão
Quente, indomável, força de vida
Cruzar espaços, planetas e sóis
Vontade e Destino
Os deuses e nós.

Vitória/ES– 19/03/07 –
ME FAÇA NOVAMENTE TUA

Nos teus braços é que me encontro
Nos teus beijos é que me faço
No teu corpo é que realizo
Meus sonhos e fantasias
E faço feliz o meu dia

Nessa entrega sem limite
Onde não há regras, nem ditames
Só quero que baixinho
Digas que me quer e me ames

Mas que mostre isso em atos
Não só palavras, mas fatos
Que me pegue nos teus braços
Me faça esquecer o cansaço
Me tomes toda nua
Me faça novamente tua

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 30/12/08 -

LIBERDADE

LIBERDADE

Ai que prazer
Não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
Como tem tempo, não tem pressa…

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.
Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças…
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca…



Publicado in Seara Nova, n.º 526, de 11-09-1937

Fernando Pessoa - Cancioneiro- 16/03/1935

26 de dezembro de 2008


A CIDADE AINDA É NOSSA


Andando hoje na cidade
Senti tão viva nossa presença
Pela rua saí numa turnê de nostalgia
Como no nosso tempo a gente fazia
E constatei...A cidade ainda é nossa
Estamos presente em tantos lugares ainda

Em vários bares...Shoppings e livrarias
Até no banco da praça
Onde a gente parava e ficava se olhando
Ali...só conversando
Intercalando com um beijo furtivo
Pra não chamar muito atenção
Mas os olhos denunciavam
Nossa alegria era tanta...

Tantas emoções
O sebo de livros e discos
Que a gente adorava ir
Lá descobríamos raridades
Dividíamos surpresas
Enquanto no fundo o blues
Som mágico e triste dos negros
A guitarra chorava já nossa despedida
A gaita completava a melodia
E outras notas saía

E nós...pura emoção
Só queríamos viver aquele momento
Sem saber de amanhã
Sem nem saber se o amanhã existiria
Pra nós importava só o aqui, agora
Só o presente
A companhia.


(Vera Helena)


Vitória/ES - Em 02/10/08 -

21 de dezembro de 2008

VOU TE CONQUISTAR


VOU TE CONQUISTAR

Meu amor decidi que vou te conquistar
Nem que precise ir no céu uma estrela buscar
Ou mares atravessar...Nada muda minha opinião
Depois de muito pensar decidir te entregar meu coração

Quero ficar ao seu lado e não mais sair daqui
Meu coração enamorado sente que é onde serei feliz
Não vou mais tentar negar, nem sentimento esconder
Quero mais escancarar o que sinto por você

Depois de tanto procurar, em seus braços encontrei a paz
Em seu corpo é que me encontro e debruço pra relaxar
Em seu desejos que me entrego numa busca a saciar

De dia temos o sol, que de manhã vem nosso corpo aquecer
À noite temos temos o céu e as estrelas como testemunha
Dos momentos de amor, entrega e prazer.

(Vera Helena)

Vitória/ES- Em 17/12/08 -

9 de dezembro de 2008


MEU ANJO

Dentro de mim mora um anjo
Que tem a boca pintada
Um anjo que me proteje
Ao longo da minha jornada

Dentro de mim um anjo mora
É ele que me orienta
Que me dá a direção
Quando perco a razão

Quando meto os pés pelas mãos
Meu anjo de boca pintada diz não.

(Vera Helena de Oliveira)

Vitória/Es - Em -8/12/08 -


8 de dezembro de 2008

nua, cria
O OUTRO LADO DO ESPELHO

O outro lado de mim
Está do outro lado do espelho
Face refletida
Me vejo do outro lado
Da forma como não me vejo aqui
Da forma como não quero aceitar
Quero negar
O tempo chegando
Idade...a vida indo-se
Vida esvaindo-se
O outro lado do espelho
Realidade nua e crua
Me deixa nua
Com minhas carências
Minhas querências
Mostra o tempo que perdi
Coisas que não vivi
O outro lado do espelho
Mostra o escondido de mim
Mostra a imagem controversa
A face não mais viçosa
Cada pedaço de minha vida


Do outro lado do espelho
Me leio...Me vejo
Reflito novo sentido
Me coloco face a face
Dou a cara a tapa
Desmascaro minhas verdades
Desmancho a maquiagem
Me coloco sem vaidades
Assim como sou.

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 08/12/08 -
SEM MEDO DE VIVER

Hoje é tudo diferente
Seja qual for o resultado
Pra mim só importa o presente
Chega de viver do passado

Não vou ter medo de nada
Nem de viver coisas novas
Vou tomar uma atitude
Viver o amor em plenitude

Primeiro voltar a amar a mim mesmo
Depois de tantos erros
Chega de andar assim a esmo

Depois pro mundo vou me abrir
Me entregar à alegria
E buscar formas de ser feliz

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 08/12/08 -

VENHA

Abro meus braços
Pra te receber inteiro
Venha
E se aconchegue a mim.
(Vera Helena)
Vitória/ES- Em 03/11/08 -

SENTIDO BELO DE MINHA VIDA

Você...
Sentido belo de minha vida
Meu selo
Em ti me desvelo
Me revelo
Me enrolo
Faço novela
Enceno a cena
Teço a teia
Castelos de areia
Abrigam meus sonhos
Meu barco errante
Que em mim aporta
Sou seu cais
Seu porto amigo
E assim também te faço
Meu porto...meu abrigo
Meu abraço...

(Vera Helena)
Vitória/ES - Em 08/12/08 -

AMAR DE NOVO

Quero amar de forma solta
Nada de revolta
Nada de lembranças
Quero abrir o coração
Pra viver nova emoção
Dar novo rumo à minha vida
Deixar fluir bem leve
Deixar que a vida me leve
Pra novos caminhos
Novas buscas
Novas vivências
Quero de novo ser livre
Deixar apegos
Deixar a água passar
Não mais em correnteza
Mas calma...suave
Assim como a brisa que toca minha face
Me leva pra outras paragens
Me mostra outros horizontes
Quero ser um rio que corre
Com águas calmas
Lavar a alma
Lavar a cara
Mostrar a cara
Sair das sombras
E voltar a brilhar

Quero amar de novo
Alto relevo
Auto renovo
Do corpo, da alma, de mim

(Vera Helena)

Vitória/Es - Em 08/12/08 -

SOU AQUELA

Sou aquela
Que te pinta em aquarela
Enche tua vida de cores
Te prendo nas minhas teias
Onde esqueces as mazelas

Sou aquela
Que invade teu sono noturno
Muda teu jeito taciturno
Trás o sorriso ao teu rosto
Dá leveza à tua vida
Dá beleza e sentido
À vida já quase perdida
Em outros amores perdidos



Sou a estranha
Que emaranha tua fronha
Entranha em tuas entranhas
Provoca furor

Sou o vendaval
Que te tira do sério
Te deixa em erupção
Acende teu vulcão
E te envolve em paixão

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 08/12/08 -

6 de dezembro de 2008

OBSESSÃO

Este desejo inabalável
Lascívo e torturante.
Homem inatingível
Se faz distante
Outras vezes amante
Desejável
Meu homem, menino, adulto amante.
Toca meu corpo provocante
Tuas mãos buscam meus seios
Com sofreguidão toma meu meio
Sua vida, seu querer.
Acende chamas,
Desperta seu vulcão
Que derrama larva em mim.
Assim...Feitiço, oração.
Gostosa violaçãode conduta.
Dócil cavalheiro
Que alucina
Ilumina caminhos sinuosos.
Seus beijos gostosos
Me fazem gostar deste teu jeito
Amantes a galopar,
Por pradarias, leito.
Sem trégua,sem pausa
Caminham léguas,
Razão e causa.
Da dança indecente.
Dos passos sem compasso
Frenéticos, heréticos.
Umídos de sumo, nectar
Unidos em sussurros, ais.
Compactuando orgasmos,
Que fluem aromados,
Instante maxímo,
Momento magíco,
Suados, saciados
E fim!...

(Vera Helena)

Poema que tem como muso o poema MINHA AMANTE -
de Gustavo Drummond.
MORADA EM MIM

Numa madrugada você chegou
De forma inesperada
Meu coração ocupou
Quando eu estava desavisada
Acabou com minha solidão
Mas roubou meu coração
Em mim morada firmou
Nossos caminhos se encontraram
Depois de longa procura
Nada agora mais importa
Minha alma se acalmou
Desde que você chegou
Eu não moro mais em mim
Pois passei a habitar em você


(Vera Helena)
Vitória/ES - Em 06/11/08 -
NA NOITE

Busquei você na noite
em meio às estrelas
Nenhuma delas me mostrou
Onde você estava
Desisti de te buscar na noite
Mas te encontrei nos sonhos
E você me deixou ficar
Eu me aninhei nos teus braços
E acolhida em ti dormi


(Vera Helena)
BEIJOS COLORIDOS

Quero os teus beijos coloridos
Na busca dos meus labios carmim
Quero tuas mãos
Passeando...tateando.
Descobrindo...me abrindo
Quero voar com teu toque
Quero flores em mim
Colorindo meu sorriso
No orvalho refrescar
O corpo a te ofertar

Quero ipês e pés nos jardins
Coloridos...colorindo.
Lilás, rosáceos e vermelho paixão
Pés correndo pra me alcançar
Quero muito mais de mim
Pra te dar muito mais...
Colando nossas bocas,
Quero sonhos.
Desejos embalados em braços e abraços
Palavras que soam ao vento poemas
A brisa vem e sopra de leve
Aquieta minha alma e me completa.

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 07/10/08 -

APENAS UM


APENAS UM

Quando acontece o amor
O universo se ilumina
Com o briho dos corações
Que emanam a luz do amor
Almas que se buscam
E se encontram
Num encontro de ternura
Deixam o mundo lá fora
E viver este momento supremo
Renunciar ao mundo
E deixar-se viver o amor
Nada mais importa
Nada é real
Emoção entrelaça
Olhos apaixonados
Corações que se dão
Numa entrega total
Quando acontece o amor
Cessa a busca de outro ser
Pois numa confusão gostosa
Você se confunde com o outro
E se torna apenas um.




(Vera Helena)


Vitória/Es - Em 06/12/08 -
NO MEU SILÊNCIO

No meu silêncio
Quero que você descubra minha voz
Nos meus segredos
Quero que você descubra meu eu
Nas minhas incertezas
Quero que descubra as certezas do meu coração.
Na minha realidade
Quero que descubra minhas fantasias
No meu mundo
Quero que alimente meus devaneios
No meu dormir
Quero que entre em meus sonhos
No meu aconchego
Quero que descubra meus seios
E se deite...
(Vera Helena)
ENTRE PAREDES

Quero amar-te sem receio
Te entregar minha liberdade
Pois sem ti é que me sinto presa
Quero te entregar minha alma
Quero em teus braços estar
No teu corpo me encontrar
Nos teus braços me perder
E me encontrar em teus lábios
Sentir o sabor do teu beijo

Sentir que teus olhos me desejam
Ouvir-te palpitar ao me encontrar
Contar-me teus anseios
Quero pulsar no mesmo ritmo
De dois corpos em profusão
Numa busca em sedução
Dançando no mesmo compasso
Num ensaio em mesmo passo
De corpos ardentes que se buscam
E se encontram
E realizam fantasias
Num movimento cadenciado
Num mesmo ritmo ensaiado
Num mesmo ofegar de desejos
Num mesmo beijo insinuante
Num encontro apaixonado
Num amor escondido
Entre quatro paredes
Num encontro de amantes.
INSÔNIA

Na minha insônia
Desejo ardentemente
Ter você aqui comigo
Como um zumbi
Perambulo pela casa
Pela noite, à sua busca
Entro nos seus sonhos
Penetro em seus desejos
Descubro seus mistérios
Aguço seus sentidos
E me aposso de você
Te deixo sem saída
Te deixo em delírio
Desejando meu corpo
Desejando meu ser
E sem você notar
Me chego até você
Encoberta pela noite
Que é minha cúmplice
Te faço meu escravo
Te faço todo entregue
E em rituais ocultos
Te ofereço e te condeno
A um amor eterno
A um amor negociado
Onde eu entrei com meu desejo
Minha ânsia, minha vontade
E você entra com seu corpo
Suas mãos, sua volúpia ardente
E nesse vagar noturno
Assim estou condenada
A possui-lo apenas em sonhos
Enquanto dorme
E já não é dono da sua vontade
EM BUSCA DE OUTRO SOL

Vejo o barco no mar
A deslizar água adentro
E leva meus sonhos
Leva meu destino
Onde já não sou mais dona de mim
Onde já não controlo mais meus atos
Meus desatinos

O barco já tão distante
Leva junto meu destino
Leva junto meus desejos
E em fantasia te acompanho
Me guio pelos instintos
Na intuição eu pressinto
Me afastam de você

E como norte sigo a luz do farol
Que ilumina o barco cada vez mais distante
Que vai para outras terras errantes
Em busca de outro sol
Enquanto aqui me deixa
Pra que a noite venha e me tome
Enquanto a dor me consome
Da sua súbita partida
Para terra desconhecida



O DIA QUE VOCÊ SE FOI

A desordem no quarto
Roupas pelo chão
Tudo mostra que você foi embora
Corro até o banheiro
Na esperança de encontrar algum vestígio
De que você possa voltar
Procuro sua escova de dente
Sua toalha e o roupão
Que nada
Você levou tudo
Nada seu restou
Até os discos na estante
Deixou o espaço vazio
Podia ter feito o favor
De colocar algo no lugar
Para assim que eu chegasse
E pra estante olhasse
Não notasse sua ausência
Quando de manhã o mandei embora
Não pensei que você fosse.
Não no mesmo dia
Agora aqui sozinha
A fumaça do cigarro que me incomodava
As cinzas no cinzeiro sujo
Que você nunca limpava
Seus sapatos jogados pela sala
Que você tirava
Quando chegava cansado
O cheiro da bebida no copo
Garrafa esparramada
Nada ficou...
Agora só uma limpeza que me incomoda
Uma sala vazia que me mostra
O vazio que você preenchia
Não tem mais nenhum vestígio de você
Só ficou nossa foto
A única que você não levou
Tenho que me render às evidências
“The dreans its over”
Agora vou sonhar sozinha
Refazer a vida
Viver os meus sonhos
Que deixei guardados no fundo da gaveta
Pra viver os seus sonhos

(Vera Helena)



TODO O SENTIMENTO (1987)

Composição: Chico Buarque e Cristovão Bastos

Preciso não dormir
Até se consumar
O tempo da gente
Preciso conduzir
Um tempo de te amar
Te amando devagar e urgentemente
Pretendo descobrir
No último momento
Um tempo que refaz o que desfez
Que recolhe todo sentimento
E bota no corpo uma outra vez
Prometo te querer
Até o amor cair
Doente, doente
Prefiro então partir
A tempo de poder
A gente se desvencilhar da gente
Depois de te perder
Te encontro com certeza
Talvez num tempo da delicadeza
Onde não diremos nada
Nada aconteceu
Apenas seguirei
Como encantado ao lado teu.

Depois de te perder
Te encontro com certeza
Talvez num tempo da delicadeza
Onde não diremos nada
Nada aconteceu
Apenas seguirei
Como encantado ao lado teu.

Postei aqui esta bela composição do grande Chico Buarque porque pra mim é uma das músicas mais lindas - letra e música - feitas nos últimos tempos. Ela é poética, tm lirismo e melodia deliciosa, que te transporta pra outros momentos.
INTENSA EMOÇÃO

Nossa pele se toca...
Arrepio..emoção
Atiça o tesão
Suspiros e gemidos se misturam
Meu prazer é teu gozo
Silêncio depois do encontro
Encanto
Palavras não mais precisam
Pra expressar sentimentos
Coração descompassado
Nosso amor
Eternizando momento
Corpo e alma em conjunção
Alimento celeste
Êxtase final
Felicidade real
(Vera Helena)

Vitória/ES – Em 06/12/08 -






2 de dezembro de 2008


QUERO COLO

No teu colo
Eu me calo
E no frio
Eu me aqueço
Coração vadio
Me dá arrepio
Só de pensar...
No teu corpo
Eu me encorpo
E me enrosco
No teu solo
Eu me enrolo
Te assolo
Quero colo
Nos teus dedos
Eu me perco
E me acho
Me derreto
Me deságuo
De amor...
Nas tuas mãos
Me entrego em paixão
Me dou de bandeija
Quando você me beija
Entrego meu coração
Sei que perco a razão
Mas nada importa mais
Com meus braços
Eu te caço
E te enlaço
Num abraço
E não solto mais...
(Vera Helena)
Vitória/ES - Em 23/05/08 -
DIVIDIDA

Uma parte de mim te deseja
Outra metade te rejeita
Uma parte de mim te busca
Outra te afasta
Uma metade de mim é paixão
A outra também
Uma parte é contradição
A outra, explicação
Uma parte do coração acerta
A outra metade segue errante
Uma parte da minha alegria ri com você
A outra parte perdeu o sorriso
Uma parte do meu corpo te deseja
A outra metade te atiça
Uma parte de mim é entrega
A outra satisfação
Uma parte dos meus sonhos você habita
E outra você invade e me toma
E torna meus sonhos reais.

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 21/02/08 -

1 de dezembro de 2008


VESTIDA DE VINHO


Vestida de vinho
Pra te embriagar
Taças de cristal
Lente taransparente
Denuncia emoção
Interlúdio, canção
Te envolvo em seda
Purpurinas e brilho
Olhos nos olhos
Ensaio um passo
Uma música convida à dança

Vinho e vestido
Se misturam, se embolam
Embriagando
No compasso da dança
Envolvendo
No jogo de sedução
Emaranhado de emoção


Na teia, tateio
As costas arranho
Com mãos e unhas
Te envolvo
Te apanho
A boca te beijo
Meus lábios carmim em desejo
Na loucura deste enlevo
Dançando
Embriagando
Em vinho me tornando
Doce sabor
Degustado até o final
É vinho de primeira
Não dá ressaca
Nem faz mal.

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 28/11/08 -


























































































30 de novembro de 2008

CULTO SURREAL PARA O AMOR


Amo o ato de amar
E me resumo em amor
De todas as formas
De todos os modos
Amor doação
Amor coração
Amor verdadeiro
Amor partilha
Amar...simplesmente amar
Provar o néctar dos deuses
Num culto surreal
Onde no solstício me entrego
Para no equinóscio amar



Amar, não só em palavras,
Mas em ato
Sem ser sensata
Amar de forma concreta
Do jeito certo
Sem se enganar
E sem enganar
Amar, sem disfarçar
Dizer com palavras, com atos
Sem definir a forma

Amar, doce mel
Doce sentir
Doce experimentar
Degustar...saborear
Não deixar nada no prato
Nada deixar para depois
Pra não se arrepender
Não ter medo de viver
E sempre...amar


(Vera Helena)

Vitória/ES – Em 26/03/08 -


SEU PORTO

Cansado de tanto nadar
Você aporta em mim
Sou seu porto seguro
Sou sua ilha deserta
Pra onde você nada e acerta
Como uma flecha conduzida
Por um arco imaginário
Seu altar, divindade
Onde você se profana
No sacrário do meu corpo
Enquanto sou seu escopo
Onde foges e se encontra
E então cessas a busca
E assim que anoitece
Em meu peito é que se deitas
E calmo, assim adormece
(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 17/03/08 -

AO MENOS POR UMA NOITE

Ao menos por uma noite
Queria não lembrar de você
Pelo menos uma vez
Queria poder te esquecer
Passo noites insones
A me lembrar do seu rosto
Dos seus traços
Dos seus braços me enlaçando

Ao menos por uma vez
Queria te olhar com outros olhos
E não com olhos do amor que te vejo
E me cego pra não ver o que você é
Ao menor por uma noite
Quero esquecer seus lábios e
O gosto do seu beijo
Quero esquecer
Suas mãos fortes em meu corpo
Tateando, procurando,
Quero esquecer seu lindo sorriso me seduzindo

Ao menos por uma noite eu queria dormir
Não sentir seu cheiro impregnado nos meus lençóis
Deixe-me dormir
Saia dos meus sonhos
Saia do meu sono
Do meu hoje
Ainda te arranco de dentro de mim.
(vera Helena)

Vitória/ES - Em 19/03/08 -


COR DO ARCO-ÍRIS

Se a poesia tem cor
Deve ter as cores do arco-íris
De um rosa anilado
Ou um roxo avermelhado
Misturado com o amarelo alaranjado.
Ou quem sabe a cor da poesia
É a cor que a lua reflete quando está cheia
De amarelo dourado, com céu estrelado
Assim como a poesia busca as palavras
No fundo da alma pra se expressar
Também o arco-íris aguarda o encontro
Do sol e da chuva pra se formar
E maravilhar os olhos e sentidos do poeta
Que na mistura de palavras e cor
Cria sua poesia
Mergulha na alma de quem o lê.
(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 18/03/08 -



DOCE PRISÃO

Em ti me prendi
Liberdade pra quê???
Quero ficar presa em ti
Vivenciar esta doce tortura
De estar acorrentada em teus braços
Quero experimentar a sensação
De não poder mais caminhar
Sem ter-te ao meu lado
Quero viver contigo
Como se cada dia fôsse
Apenas mais um dia
Sem passado...
Sem presente
Sem futuro.
Apenas viver.
(Vera Helena)

Vitória/ES- Em 24/10/08

28 de novembro de 2008

DESCANSO

Você quietinho
Aconchegado
Saciado
Acolhidinho
Pulsa vivo
Mas silencioso
É só sentir
É o descanso merecido
É o guerreiro vencido
Pelo prazer desmedido
Você adormece
Enquanto eu te aqueço
Dentro de mim.

(Vera Helena)

Vitória/ES -Em 28/11/08 -

27 de novembro de 2008

FÊNIX

Minha alma livre
Quer voar
Quer buscar a liberdade
dos versos
Quer despedir a tristeza
Festejar a poesia
Descobri dentro de si
A alma que se desnuda
Que se mostra
Forte
Firme
Alma renascida
Em fogo e brasa se refaz
Das cinzas
Fênix
Renovada
Na esperança de ser poesia
(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 24/11/08 -

26 de novembro de 2008


FORJADO NO FOGO

Eu e você...
Desejos traduzidos
Você insinuando-se
A mim enfeitiçando
No meu desejo interferindo
Em mim introduzindo-se
Eu mesclada no seu corpo
Amor forjado no fogo
Regado a vinho tinto
Brinde de felicidade
Encontro de momento
Esperança e sentimento
Eternidade.


(Vera Helena )


Vitória/ES - Em 27/10/08 -

24 de novembro de 2008

MEU COLÍRIO

Quero ser seu delírio
Seu corpo minha loucura
Meu colírio
Quero ser seu sonho
Acompanhar seu sono
Te fazer dormir no meu peito
Entre carinhos te relaxar
Te proporcionar sensações
Há muito não vividas
Despertar emoções
Antes nunca sentidas
Quero ser o novo pra você
Quero ser única...
Em que você não vai mais precisar
Outras desejar
Pois meu amor vai te satisfazer.
Experimente e verás
Com certeza...nunca esquecerás.

(Vera Helena)


Vitória/ES - Em 19/11/08
-


23 de novembro de 2008



OLHAR DE FEITIÇO

Com seu olhar de feitiço
Menino deixa disso
Pára de me olhar assim
Não sabe que a carne é fraca
E eu não respondo por meus atos
Se você continuar de fato
Me olhando desse jeito
Que até me tira o trejeito
Com esse seu olhar travesso
Que me vira do avesso
Com esse olhar de desejo
Que me desnuda, em pelo



Menino pára com isso
Bota seu olhar de feitiço
Pra bem longe de mim
Menino...não faça assim
Pois posso me apaixonar
Aí o feitiço vai virar

Pois sou eu que te encanto
Com meu jeito, com meu canto
E assim encantado
Com seu olhar apaixonado
Olha que te prendo no laço
E faço você por mim se apaixonar
E nunca mais me largar.

Menino de olhar de feitiço
Pára de fazer rebuliço
No meu viver...no meu gostar.

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 20/11/08 -

PALAVRAS NA POESIA

Corpo em energia
Amor em sintonia
Vida e alegria
Melodia...
Palavras na poesia
Amor em canção
Construção.
Estrela no céu
Vênus em conjunção
Nuca quadratura
Nem noite escura
Equinócio dos deuses

Comemoração da vida
Momento supremo
Movimento...extremo
Coração em poesia
Constelação
Luz e redenção
Poesia...inspiração

(Vera Helena)
Vitória/ES - Em 27/10/08 -

22 de novembro de 2008


É ISSO AÍ

Ana Carolina
Composição: Damien Rice
(vers.: Ana Carolina )

É isso aí
Como a gente achou que ia ser
A vida tão simples é boa
Quase sempre
É isso aí
Os passos vão pelas ruas
Ninguém reparou na lua
A vida sempre continua

Eu não sei parar de te olhar
Eu não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não sei parar
De te olhar


É isso aí
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade


É isso aí
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Eu não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar

MELODIA EM SI BEMOL


MELODIA EM SI BEMOL

No piano improviso
Notas dissoantes
De um amor distante
Como ave rasante
Vem pousar no meu ombro
Me fazer companhia
Bela melodia
Que se fa_z em si bemol
Clara como o sol
Numa clave musical

O toque do piano
Nas teclas do seu corpo
Componho uma canção
De entrega e ternura
Noite clara, lua cheia
Brilhante, cristalina
Transparente e gotejante
No corpo o sangue que pulsa
O coração explode de emoção
E se faz canção
Experimenta emoção
Vive paixão

Na cadência das estrelas
No rítimo da terra que gira
Movimento de corpos
Que giram...
Rodopiam...
Dançam.
Corpos que se encontram
No compasso do coração
Compondo bela canção

(Vera Helena)

Vitória/ES - Em 20/11/08 -

É ISSO AÍ...

Quero falar em prosa e verso
Quero escrever poesia
Quero abrir o coração
Buscar na alma inspiração
É isso aí...quero falar
E quero que você também fale, escreva,
Quero que você dê sua opinião
Seja bem-vindo e sinta-se em casa.