Seguidores

18 de junho de 2010



INTEIRA

Costurei gotas de chuva
Num tecido transparente
Pra cobrir seu corpo
Em ondas cristalinas
Refrescar sua pele
Que transparente se mostra
Dentro e fora
Busquei lavas de vulcão
Pra te aquecer
Enquanto o sol dormia
E a lua no céu
Testemunha do amor
Que jorra do meu para o seu coração
Acertei meu coração que estava
Machucado...
Colei os cacos e me refiz
E inteira pude ser sua...


(Vera Helena)
Vitória/ES - Em 15/10/09 -


4 comentários:

Cleide disse...

Esse aqui ficou demais, Helena... Inteira(mente) envolvente. beijo

Marisa Torres disse...

É isso aí amiga inteiríssima...

Belíssima poesia como tudo que vc escreve. aplausos Vera para inteira eu estendo tapetes vermelhos.
Fica em paz e com Deus.

Marisa Torres disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RH Dicas disse...

Belo poema! bjos