Seguidores

28 de março de 2010


Para Martha,

Dor doída
Dor doida
Dor partida
Repartida entre tantos
Dor...dor...dor
Que não pára de doer
Dor de partida
Da beleza e bondade
Que deixou de existir
Nos olhos que se fecharam pra sempre
Dor de saudade
Deus não sabia que seria maldade
Deixar a gente sem o sorriso dela
Sem a presença sempre elegante
Sem o brilho no olhar
que em outros olhos vai brilhar
Dói...dói muito ainda
E ainda vai doer muito...
Um dia a dor passa
Fica a saudade
As boas lembranças
E juntos vamos lembrar de você
Irmã que tanto amamos
E que virou um anjo
E foi embelezar o céu
com sua beleza...sua bondade...seu sorriso

(Vera Helena)

Vitória/ES -Em 27/03/2010 -

2 comentários:

Luzimar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luzimar disse...

"É isso aí" amiga... aqui estou no seu cantinho me encantando com o encanto das suas poesias. A poesia que fez para Marta é lindíssima, apesar de triste. Parabéns minha querida, seu blog está um espetáculo. Bjus